Flordelis muda versão e diz que filho acusado de assassinato não estava na cena do crime

A deputada federal Flordelis (PSD-RJ) afirmou nesta quarta-feira que Flávio dos Santos Rodrigues, seu filho e acusado de assassinar o padrasto, não estava na cena do crime no momento em que os tiros foram disparados. A parlamentar prestou depoimento na tarde desta quarta-feira, em Brasília, em uma audiência fechada, já que o processo corre sob segredo de Justiça. As informações foram confirmadas ao EXTRA por duas fontes que tiveram acesso aos autos.

A deputada foi arrolada como testemunha de defesa de Rodrigues. Ela é investigada pela suposta participação na morte do marido, mas não há acusação formal contra a parlamentar. O depoimento de Flordelis aconteceu no dia de seu aniversário.

A nova versão apresenta uma contradição em relação ao segundo depoimento prestado por Flordelis. Nesta tarde, a deputada disse que o filho estava subindo as escadas de casa no momento em que ela ouviu os tiros contra o marido, o pastor Anderson do Carmo. De acordo com o depoimento, Rodrigues chamou pelo nome da mãe e chegou ao local em que Flordelis estava enquanto os disparos ainda podiam ser ouvidos. No dia 24 de junho, à Polícia Civil do Rio, a parlamentar havia afirmado que o filho havia chegado ao terceiro andar da casa, onde ela estava, depois do barulho dos tiros.

Em um primeiro depoimento, no dia 16 de junho, horas após o crime, Flordelis não citou que onde Flávio estava no momento do crime. O filho de Flordelis já foi ouvido pela Polícia Civil e confessou ter matado o padrasto. A defesa quer anular o depoimento dado naquela ocasião. Desde o final do ano passado, Flordelis e o filho são defendidos pela mesma equipe de advogados.

Segundo o advogado Angelo Máximo, que representa a família de Anderson do Carmo, Flordelis afirmou durante a audiência que desconhecia o teor dos depoimentos prestados à Polícia Civil.

– Causou muita estranheza que, sendo mostrado a ela (Flordelis) trechos de depoimentos dela na delegacia, ela disse desconhecer essas afirmações dadas por ela própria. Ela entrou em contradição – afirmou o defensor.

Já o advogado Ânderson Rollemberg, que atua na defesa de Flordelis e de Rodrigues, disse que o depoimento da parlamentar “converge” com os fatos que estão sendo investigados:

– Todos os esclarecimentos feitos no Distrito Federal têm todo o alicerce em tudo que ela (Flordelis) vem falando, inclusive na reconstituição do crime. Ela é uma peça fundamental, estava a metros da vítima. Ela tinha que vir para os autos esclarecer o que ela assistiu, a dinâmica do fato.

Apesar de a ação movida pelo Ministério Público contra Rodrigues estar em andamento no Rio, onde ocorreu o crime, Flordelis usou sua prerrogativa de parlamentar para ser ouvida em Brasília, onde também tem residência. Ela é a última testemunha a ser ouvida no processo. Após o depoimento da deputada, a Justiça do Rio decidirá se o filho irá ou não a júri popular pelo assassinato do pastor Anderson. O outro filho de Flordelis que responde pelo crime, Lucas Cézar dos Santos, não indicou a mãe como testemunha, por isso já houve decisão para que ele seja julgado pela morte de Anderson.

06/02/2020

(Visited 2 times, 1 visits today)